quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

"Acontece em Coimbra Oeste" - Novembro de 2017




No dia 14 de novembro de 2017, os alunos dos 3.º e 4.º anos das Escolas Básicas do 1.º Ciclo de Ameal, Arzila e Taveiro participaram numa atividade inserida no projeto Acontece em Coimbra Oeste, em parceria com a Biblioteca Escolar da EB 2, 3 de Taveiro, o PNC e “Clássicos em Rede”. Na mesma atividade, participaram também os alunos dos mesmos anos da Escola Básica do 1.º Ciclo de Casais do Campo, no dia 21 do mesmo mês.
Dado o dia 4 de novembro ter sido o Dia Mundial do Cinema, a sessão começou com essa menção e o visionamento do primeiro filme mundial, L’Arrivée d’un Train à La Ciotat, dos irmãos Lumière, de 28 de dezembro de 1895, apresentado no salão Grand Café, em Paris. Os alunos ficaram ainda a saber que, nessa mesma ocasião, os Lumière fizeram a apresentação pública do seu invento ao qual chamaram Cinematógrafo e que um filme é uma história contada através de uma sucessão de imagens em movimento, o qual é ilusório.
Sempre na perspetiva de que todos têm uma história, uma origem, uma cultura, foi destacado o papel da Grécia e da sua cultura. Assim, visualizaram excertos de um filme sobre o Minotauro e o labirinto de Creta, a fim de os sensibilizar para a Cultura Clássica e de lhes demonstrar que os Gregos foram um povo politeísta para quem os mitos serviram como forma de explicação de vários fenómenos. Conheceram, igualmente, exemplos do mito apresentado, existentes na atualidade e representados em várias artes, nomeadamente na cerâmica, na escultura e na pintura. De seguida, desenharam o Minotauro.
Mais tarde, foi destacado o Dia Internacional dos Direitos das Crianças (20 de novembro), tendo sido feita a distinção entre direito e desejo bem como a referência a vários direitos, por exemplo, casa digna (artigo 27), oportunidades de poder exercer a própria cultura, língua e religião (artigo 31), ar puro (artigo 24), proteção contra abuso e negligência (artigo 19), alimentação saudável e nutritiva (artigo 24), água potável (artigo 24), oportunidade para partilhar as suas opiniões (artigo 12), cuidados de saúde (artigo 24), tratamento justo e não discriminativo (artigo 2), educação (artigos 28, 29) e brincar (artigo 30). Neste âmbito, os alunos escreveram os seus direitos numa figura infantil, representando os meninos e as meninas das respetivas turmas. Com essas figuras, foi feita, em dezembro, uma instalação designada “A Árvore dos Direitos”, na BE da EB 2,3.

Por fim, foi feita a avaliação da sessão.








Viajar por Países e Culturas

Ainda em outubro, Mês Internacional da Biblioteca Escolar (MIBE), as turmas do 5.º Ano realizaram uma atividade sobre países e respectivas culturas, em articulação com a disciplina de Educação Musical, a partir do livro Volta ao Mundo em 40 Canções. Os Países e as Suas Canções, de Luís Matos e Fernando Paulo Gomes, com ilustração de Inês Prata.

Assim, o tema “Ligando Comunidades e Culturas” serviu de mote para o canto e encanto dos alunos e professores envolvidos.

(imagem retirada da Internet)




"Ligando Comunidades e Culturas" - BE, Ambiente e PNC

No âmbito do Mês Internacional da Biblioteca Escolar (MIBE), no dia 23 de outubro de 2017, Dia da Biblioteca Escolar em Portugal, as turmas G e H do 6.º Ano, da EB 2,3 de Taveiro, participaram, na BE, numa atividade baseada no documentário Com Quase Nada (2000), de Margarida Cardoso e Carlos Barroco. Relembre-se que o tema deste ano era “Ligando Comunidades e Culturas” e toda a dinâmica foi encetada pelo PNC do AECO e pela Biblioteca Escolar – com o tema “Ligando Comunidades e Culturas” (tema definido pela International Association of School Librarianship - IASL), com destaque para a questão do ambiente (sensibilização, alerta e preservação); tendo em consideração a articulação com o PES (sensibilizando para a multiculturalidade, a dignidade humana e os direitos humanos), a Educação Cívica (a educação para a cidadania), o Projeto EducOcean  (a sustentabilidade do planeta) e o Projeto EcoMuseu (o ambiente).
A atividade tinha como objetivos gerais divulgar um documentário marcante e ilustrativo das desigualdades sociais e estabelecer elos de ligação entre a Escola, a Biblioteca Escolar e a comunidade educativa. Quanto aos objetivos específicos, eram os seguintes: revelar sensibilidade para a reciclagem e para a gestão sustentável de recursos no nosso planeta, conhecer exemplos atuais das desigualdades sociais, reconhecer como cada comunidade tem a sua cultura, conhecer algumas características da vida das crianças de Cabo Verde, planificar a construção de brinquedos com materiais recicláveis, dialogar sobre o documentário e sobre a sessão em casa, com a família; posteriormente, reaproveitar desperdícios, criar brinquedos com materiais recicláveis, participar numa atividade de trabalho colaborativo a divulgar à comunidade educativa.
Partindo da leitura expressiva de três poemas (“O Meu Amigo Cigano”, “O Meu Amigo Timor”, “O Meu Amigo Cabo-Verdiano”, retirados de Amigos em Todo o Mundo, de Leonel Neves) e exploração temática dos mesmos, os alunos visualizaram excertos de Com Quase Nada, ouviram falar sobre os realizadores e foi-lhes apresentada a localização geográfica dos países envolvidos nos textos poéticos e no filme. Com este, assistiram a uma imagem da infância vivida em Cabo Verde, procurando promover um olhar atento e curioso em torno dos brinquedos que as crianças cabo-verdianas criam com poucos meios e com as próprias mãos. Depois, foi tempo de debate sobre a diversidade cultural e o desperdício dos desperdícios. E o desafio foi-lhes lançado: planificarem e construírem brinquedos a partir de materiais usados, vulgarmente, conhecidos como desperdícios ou lixo. Souberam também da existência de vários livros existentes na BE (e em exposição) sobre como criar, reciclando.
Saliente-se que houve também tempo para o visionamento de Crianças Invisíveis Bilú e João, seguido de exploração temática.
Na semana seguinte, houve oportunidade de esclarecer algumas dúvidas e de continuar a discussão sobre comunidades e culturas, reciclagem e gestão sustentável de recursos na Terra.
Relativamente à exposição dos brinquedos construídos, esta ocorrerá no mês de janeiro, na BE.
Considerando as criações artísticas já entregues na BE, os alunos aprenderam e apreenderam a importância do respeito pelo Outro, pela diversidade e pelo ambiente. O planeta agradece e todos nós também!




sábado, 9 de dezembro de 2017

"Há Poesia na Escola"

"Há Poesia na Escola",
Vamos, então, participar;
O tema do concurso é livre,
Basta só imaginar...

Soltam-se as palavras,
Conhecem-se novos autores,
O prazo é 23 de fevereiro,
As letras parecerão flores!






Mais uma vez (a nona), a REDE CONCELHIA DE BIBLIOTECAS DE COIMBRA (constituída pela BMC e as escolas do concelho de Coimbra integradas na RBE), promovem um Desafio de Poesia designado “HÁ POESIA NA ESCOLA” com o objetivo de dinamizar os hábitos de leitura e de escrita e estimular o gosto pela poesia entre os alunos dos diferentes ciclos de ensino.

Para ler o regulamento, clique aqui