quarta-feira, 11 de novembro de 2015

11 de novembro - dia de S. Martinho

Imagem retirada de http://ciclomaluco.blogspot.pt/2012/11/origens-da-tradicao-de-sao-martinho.html

Martinho era um valente soldado romano que estava a regressar da Itália para a sua terra, algures em França.
Montado no seu cavalo estava a passar num caminho para atravessar uma serra muito alta, chamada Alpes, e, lá no alto, fazia muito, muito frio, vento e mau tempo. 

Martinho estava agasalhado normalmente para a época: tinha uma capa vermelha, que os soldados romanos normalmente usavam.
De repente, aparece-lhe um homem muito pobre, vestido de roupas já velhas e rotas, cheio de frio que lhe pediu esmola.
Infelizmente, Martinho não tinha nada para lhe dar. Então, pegou na espada, levantou-a e deu um golpe na sua capa. Cortou-a ao meio e deu m
etade ao pobre.
Nesse momento, de repente, as nuvens e o mau tempo desapareceram. Parecia que era Verão!
Foi como uma recompensa de Deus a Martinho por ele ter sido bom.
É por isso que todos os anos, nesta altura do ano, mesmo sendo Outono, durante cerca de três dias o tempo fica melhor e mais quente: é o Verão de São Martinho. 



Provérbios:
  • A cada bacorinho vem o seu S. Martinho.
  • Em dia de S. Martinho atesta e abatoca o teu vinho.
  • Martinho bebe o vinho, deixa a água para o moinho.
  • No dia de S. Martinho, fura o teu pipinho.
  • No dia de S. Martinho, come-se castanhas e bebe-se vinho.
  • No dia de S. Martinho, lume, castanhas e vinho.
  • No dia de S. Martinho, mata o teu porco, chega-te ao lume, assa castanhas e   prova o  teu vinho.
  • No dia de S. Martinho, mata o teu porco e bebe o teu vinho.
  • No dia de S. Martinho, vai à adega e prova o teu vinho.
  • Pelo S. Martinho abatoca o pipinho.
  • Pelo S. Martinho castanhas assadas, pão e vinho.
  • Pelo S. Martinho mata o teu porquinho e semeia o teu cebolinho.
  • Pelo S. Martinho prova o teu vinho; ao cabo de um ano já não te faz dano.
  • O Sete-Estrelo pelo S. Martinho, vai de bordo a bordinho; à meia-noite está a pino.
  • Se o Inverno não erra o caminho, tê-lo-ei pelo S. Martinho.
  • Se queres pasmar o teu vizinho, lavra, sacha e esterca pelo S. Martinho.
  • Verão de S. Martinho são três dias e mais um bocadinho.
  • Vindima em Outubro que o S. Martinho to dirá.
  • Não há bacorinho sem o seu S. Martinho.
Bibliografia:
Machado, José Pedro –O Grande Livro dos Provérbios, Ed.Notícias, 1996
Moreira, António- Provérbios Portugueses, Ed. Notícias, 1996
Nota:
abatocar - fechar com batoque
batoque - rolha grossa

Links" sobre S. Martinho
(Os sites  para crianças estão assinalados com um *)

Dia de S. Martinho *
Martinho de Tours
O São Martinho
É tempo de castanhas...
Dos Santos ao S. Martinho
http://ubista.ubi.pt/~apombo/tortosendo/castanhas.htm> in Tortosendo, uma vila da Beira Baixa.
Os santos de cada dia




No calendário litúrgico, o dia de São Martinho celebra-se a 11 de Novembro, data em que este Santo, falecido dois ou três dias antes em Candes, no ano de 397, foi a enterrar em Tours, França. 
Com efeito, S. Martinho foi, durante toda a Idade Média e até uma época recente, o santo mais popular de França. O seu túmulo, abrigado desde o séc. V por uma Basílica em Tours, era o maior centro de peregrinação de toda a Europa Ocidental.
São Martinho é santo patrono dos alfaiates, dos cavaleiros, dos pedintes, dos restauradores (hoteis, pensões, restaurantes), dos produtores de vinho e dos alcoólicos reformados, dos soldados, dos cavalos, dos gansos. 
Martinho, nascido na Hungria em 316, era um soldado. filho de um também soldado romano. O seu nome foi-lhe dado em homenagem a Marte, o Deus da Guerra e protector dos soldados. Aos 15 anos vai para Pavia (Itália). Em França abraçou a vida sacerdotal, sendo famoso como pregador. Foi bispo de Tours.

Reza a lenda que, "num dia tempestuoso ia Martinho, montado no seu cavalo, quando viu um mendigo quase nu, tremendo de frio, que lhe estendia a mão suplicante... Martinho não hesitou: parou o cavalo, e com a espada cortou ao meio a sua capa de militar, dando metade ao mendigo. E, apesar de mal agasalhado e sob chuva intensa, preparava-se para continuar o seu caminho, cheio de felicidade. Mas, subitamente, a tempestade desfez-se, o céu ficou límpido e apareceu um sol estival. Diz-se que Deus, para que não se apagasse da memória dos homens o acto de bondade praticado pelo Santo, todos os anos, nessa mesma época, cessa por alguns dias o tempo frio e o céu e a terra sorriem com a benção dum sol quente e miraculoso.

Daí que esperemos, todos os anos, o Verão de São Martinho e em sua homenagem, comemoramos o dia 11 Novembro com as primeiras castanhas do ano, acompanhadas de vinho novo, jeropiga ou água-pé.

É o Magusto, que segundo a Wikipedia, "é uma festa popular, cujas formas de celebração divergem um pouco consoante as tradições regionais. Grupos de amigos e famílias juntam-se à volta de uma fogueira onde se assam castanhas ou bolotas para comer, bebe-se a jeropiga, água-pé ou vinho novo, fazem-se brincadeiras, as pessoas enfarruscam-se com as cinzas, cantam-se cantigas. O magusto realiza-se em datas festivas: no dia de São Simão, no dia de Todos-os-Santos ou no dia São Martinho."

água-pé é o resultado da água lançada sobre o bagaço da uva, donde se retirava o pouco de mosto que aí se mantinha. Esta bebida pode ser consumida em plena fermentação ou, depois disso, adicionando-lhe álcool. 
Já a Jeropiga é preparada adicionando aguardente ao mosto de uva para parar a fermentação, ficando uma bebida mais doce e mais alcoólica que o vinho.

Trabalho de pesquisa feito pela Professora Bibliotecária, Alcina Pires

terça-feira, 10 de novembro de 2015

A Vinda de Gi Negrão à Nossa Escola

    



    No dia 27 de outubro, os alunos do 4º TAV tiveram o privilégio de conhecer Lígia Negrão, carinhosamente tratada por todos como Gi, que lhes veio contar a história de Nada, uma menina síria, de Damasco. Esta história foi escrita, propositadamente, para este momento.






De seguida, os alunos dirigiram-se para a Biblioteca Escolar e ilustraram a história ouvida.




Para a Gi, aqui fica o nosso agradecimento e o pedido de novas histórias!

Encontros + com a Escritora Alice Cardoso

«Na senda da promoção do livro, na tentativa de sensibilizar para a importância da leitura como fator de formação do indivíduo e no esforço de aproximação de escritores/leitores, dias 2 e 3 de novembro, as Bibliotecas Escolares do 1.º CEB e da EB2,3 de Taveiro, receberam a escritora Alice Cardoso que veio apresentar algumas das suas obras e realizar leituras com os alunos. Todos os alunos apresentaram atividades de leitura, textos e cartazes que realizaram nas suas salas com os professores titulares. As crianças do 4.º ano da EB 2, 3 de Taveiro receberam a escritora com dois textos musicados “O gato tirolês vale por três” e “Há um leão na cozinha da escola” da obra Vamos pintar o arco-írisE outras histórias. Esta atividade foi articulada com a Rede de Bibliotecas Escolares de Coimbra, com o professor de música, com o professor titular de turma e alguns livros foram aproveitados para trabalhar conteúdos relacionados com a alimentação e nacionalidades (Clube Europeu).
A escritora contagiou as crianças com a magia das suas palavras, levando a uma participação ativa e interessante. No final da sessão, seguiram-se os habituais autógrafos!
Esta foi mais uma oportunidade, bem conseguida, de captar os mais jovens para a leitura!


A professora bibliotecária: Alcina Pires»