quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

João Manuel Ribeiro | Um Escritor com histórias em ponto de contar



No âmbito do Plano Nacional de Leitura e em parceria com o Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares da Biblioteca Municipal de Coimbra, João Manuel Ribeiro visitará as Bibliotecas Escolares do 1º Ciclo do nosso Agrupamento de Escolas, durante a Semana da Leitura, a decorrer de 2 a 6 de Março.

João Manuel Ribeiro, nasceu em Oliveira de Azeméis, em 1968.

É licenciado em Teologia e Mestre em Teologia Sistemática pela Faculdade de Teologia do Porto, da Universidade Católica Portuguesa, com uma tese sobre "Um Itinerário da Modernidade em Portugal - A Evolução Espiritual de Antero de Quental".
Fez pós-graduação em Supervisão Pedagógica e Formação de Formadores na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra.
Nesta mesma Faculdade prepara tese de doutoramento em Ciências da Educação sobre “A Poesia na Escola – Organização do Ensino e Compreensão da Literariedade”.

Recentemente tem-se dedicado à escrita para crianças, acompanhando tal processo com um trabalho de dinamização da literatura em Escolas Básicas do 1.º Ciclo e colégios, quer através de oficinas de escrita criativa, quer através de encontros onde diz poesia.

Para crianças publicou os seguintes livros: Estrela e Príncipe da Paz (2005), O Encanta Pardais Voador (2006), O Natal do Ratinho Daniel e outros versos (2006), Rondel de Rimas para meninos e meninas (2008), A Menina das Rosas (2008), (Im)Provérbios (2008), Poemas da Bicharada (2008), Um, dois, três - Um mês de cada vez (2008).

Publicou ainda alguns livros de poesia: Regras do mel e da flor (2002), Amores quase perfeitos e outras arritmias (2002), Livro de Explicações (2003), a circulação precoce dos relâmpagos (2007).

Vamos ouvir e ver alguns excertos da obra (Im)Provérbios contada pelo próprio autor?
http://static.publico.clix.pt/fotogalerias/letrapequena/improverbios.aspx


Não te esqueças de visitar também o blogue que levará a outras viagens pela sua obra!
http://andancasdopoeta.blogspot.com/2008/08/andanas-de-joo-manuel-ribeiro.html

Janeiro - Ilse Losa

Ilse Losa

Ilse Lieblich Losa, escritora portuguesa de origem alemã e de ascendência judaica, nasceu a 20 de Março de 1913, em Bauer, uma cidade perto de Hanover. A primeira infância foi passada com os avós paternos. Frequenta o liceu em Osnabrük e Hildesheim e o Instituto Comercial em Hanover.
Em 1930 está em Londres onde toma conta de crianças durante um ano. De regresso à Alemanha e devido à sua condição de judia é perseguida pela Gestapo e tem de abandonar o seu país, refugiando-se em Portugal onde chega em 1934, radicando-se no Porto. Casa com o arquitecto Arménio Losa e adquire a nacionalidade portuguesa.
A sua obra inclui romances, contos, crónicas, trabalhos pedagógicos e literatura para crianças.
Paralelamente à sua actividade de escritora desenvolveu outras ocupações quer no domínio da tradução, quer como colaboradora em jornais e revistas, alemães e portugueses, de que salientamos o Jornal de Notícias, o Comércio do Porto, o Diário de Notícias, Neue Deutsche Literatur, entre outros.
Ilse Losa está também representada em várias antologias de autores portugueses, tendo ela própria colaborado na organização e tradução de antologias de obras portuguesas publicadas na Alemanha. Traduziu do alemão alguns dos mais consagrados autores.

Em 1984 recebeu o Grande Prémio Gulbenkian, pelo conjunto da sua obra para crianças.

Em 1998 recebeu o Grande Prémio de Crónica, da APE (Associação portuguesa de Escritores) por À Flor do Tempo.

Retirado do site:
http://www.mulheres-ps20.ipp.pt/Ilse%20Losa%20.htm

Ilse Losa dedicou-se um pouco mais à literatura infantil e escreveu vários livros, mas destacaram-se os seguintes livros: “Rio sem Ponte”, “Sob Céus estranhos”, “ À Flor do Tempo” e a crónica de viagem: “ Ida e Volta – À procura de Babbitt”.

Em 6 de Janeiro de 2006 faleceu no Porto.


O primeiro romance que publicou chama-se “O mundo em que Vivi” que retrata o ambiente de guerra, vivido, ainda em criança, na Alemanha. A nossa BE tem disponível no seu fundo documental este livro, recomendado pelo Plano Nacional de Leitura para o programa de português do 7º ano de escolaridade, destinado a leitura orientada na sala de aula.


Informação organizada por
Clube dos Amigos da Biblioteca
Rui Pancas

Louis Braille | Bicentenário do Nascimento

2009 | Ano Internacional da Astronomia



Ano Internacional da Astronomia avizinha-se repleto de iniciativas (in Ciência Hoje)

2009 será o Ano Internacional da Astronomia e promete ser "repleto de eventos, apesar da crise", numa organização que envolve mais de 130 países, adiantou à Lusa o coordenador global da iniciativa, Pedro Russo, Prémio «Especial» seeds of Science.
O Ano Internacional de Astronomia (IYA 2009), promovido a nível mundial pela União Astronómica Internacional (IAU), tem o apoio da UNESCO e pretende celebrar os 400 anos da primeira utilização do telescópio para observações astronómicas por Galileu, estando para já envolvidos mais de 130 países. “O meu papel como coordenador global do IYA 2009 é dar enquadramento aos diversos coordenadores nacionais, que são os que realmente vão fazer com que as coisas aconteçam no terreno, mas também com os 'media-partners' e os diversos institutos e agências espalhados pelo Mundo”, explicou o responsável.
“A astronomia já vive anualmente de palestras e de acções concretas com as comunidades, mas com esta iniciativa queremos mostrar uma perspectiva global de colaboração internacional na comunicação de ciência ao público em geral”, referiu Pedro Russo, para quem “este ano será de facto especial”.
Alguns projectos satélites têm vindo a ser preparados ao longo deste último ano, como o Portal Global de Astronomia, previsto para Janeiro, mas que provavelmente só estará online em Março. “Esse portal é direccionado para o público geral, mas será especialmente interessante para os jornalistas, porque a ideia principal é agrupar todos os comunicados de imprensa, imagens, vídeos e animações, que vão saindo por vezes diariamente, de uma maneira fiável como numa agência de notícias”, salientou o astrónomo planetário. “Será igualmente, uma espécie de páginas amarelas de toda a comunidade astronómica cientifica”, disse.
Pedro Russo começa todos os dia a trabalhar por volta das 7:30 e quando repara que o dia já lhe tomou bastante tempo, ainda se lembra - porque faz questão de trabalhar assim, afirma - que do outro lado do Mundo “há gente a acordar, e que espera receber uma resposta do coordenador mundial para o IYA 2009”, tentando por isso minimizar o tempo de resposta que a preparação deste projecto obriga.
Uma espécie de 'Magalhães' da astronomia
Outra iniciativa que foi desenvolvida a pensar no IYA 2009, o Galileu Scope, é uma espécie de 'Magalhães' da astronomia, um telescópio que vai estar disponível para escolas, planetários e centros de ensino em todo o Mundo por cerca de oito euros. “Para além de um telescópio de observação, será um instrumento de descoberta, para ensinar física astronomia ou óptica, numa sala de aula, como ferramenta didáctica”.
A coordenação global do IYA 2009 é apoiada financeiramente pelas diversas instituições ligadas à astronomia, bem como pela UNESCO, estando naturalmente dependente da situação económica geral. “Temos sentido a nível das comissões nacionais, indicadores, de que houve alguns cortes a nível de financiamento na divulgação e educação da ciência, pelo que se vão reflectir em alguns programas”, reconheceu Pedro Russo, mas em contrapartida, "curiosamente", a União Europeia aumentou o investimento em ciência e tecnologia para a Agência Espacial Europeia, para os próximos anos em cerca de 15 por cento.
Globalmente vão acontecer iniciativas “quase diariamente” em vários pontos de cada país, estando a abertura oficial programada para o dia 15 de Janeiro na sede da UNESCO em Paris, onde “estarão representadas mais de 100 delegações dos diversos países, algumas personalidades e cerca de uma centena de licenciados em astronomia”, salientou.
Em Portugal, a abertura oficial do IYA 2009 está agendada para o dia 31 de Janeiro, na Casa da Música, no Porto, com um espectáculo da Orquestra Clássica do Porto, que irá tocar algumas “peças inspiradas em motivos astronómicos”, referiu o coordenador global do Ano Internacional de Astronomia.
in Ciência Hoje
04-01-2009