terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Autor do Mês: Agustina Bessa-Luís

    Maria Agustina Ferreira Teixeira Bessa-Luís
(1922)


   Agustina Bessa-Luís nasceu em Vila Meã, Amarante (região do Douro), em 1922. A sua infância e adolescência foram passadas nesta região, cuja ambiência marcará fortemente a obra da escritora. 





     Estreou-se como romancista em 1948 com a novela Mundo Fechado, cujo título atua como que uma espécie de definição de toda a sua produção literária e do próprio mundo de Agustina – na verdade, a ambiência das suas obras vive de «mundos fechados», bem como a sua própria escrita se encontra «fechada» a qualquer tentativa de contextualização, em termos de correntes, na história da literatura portuguesa. Manteve, desde então, um ritmo de publicação pouco usual nas letras portuguesas, contando até ao momento com mais de meia centena de obras. 

     Tem representado as letras portuguesas em numerosos colóquios e encontros internacionais e realizado conferências em universidades um pouco por todo o mundo. 

Retirado de http://www.dglb.pt/sites/DGLB/Portugues/autores/Paginas/PesquisaAutores1.aspx?AutorId=8252





Prémios:
Agustina recebeu quase todos os grandes prémios da literatura em Portugal:

  • Prémio Delfim Guimarães (1953) - A Sibila
  • Prémio Eça de Queirós (1954) - A Sibila
  • Prémio Ricardo Malheiros, da Academia das Ciências de Lisboa (1966) - Canção Diante de uma Porta Fechada
  • Prémio Nacional da Novelística (1967) - Homens e Mulheres
  • Prémio Adelaide Ristori (1975) 
  • Prémio D. Dinis, da Casa de Mateus (1980) - O Mosteiro
  • Prémio do Pen-Club Português (1980) - O Mosteiro
  • Prémio D. Dinis (1981)
  • Prémio Cidade do Porto (1982)
  • Grande Prémio Romance e Novela (1983)
  • Grande Prémio do Romance e Novela da APE (1983) - Os Meninos de Ouro
  • Prémio RDP Antena 1 (1988) - Prazer e Glória
  • Prémio Seiva de Literatura (Companhia de Teatro Seiva Trupe), Porto (1988)
  • Prémio da Associação de Críticos (1993)
  • Prémio Municipal Eça de Queiroz (Câmara Municipal de Lisboa) (1994) - As Terras do Risco
  • Prémio Máxima da Literatura (1996) - Memórias Laurentinas e Party
  • Prémio Bordalo de Literatura (Casa da Imprensa) (1996)
  • Prémio da União Latina (1997) - Um Cão que Sonha
  • Grande Prémio do Romance e Novela (2001) - Jóia de Família
  • Prémio Vergílio Ferreira (2004)
  • Prémio Camões (2004)
Outros Prémios:
  • Por ocasião do cinquentenário da publicação de A Sibila, a 15 de Outubro de 2004, foram entregues a Agustina Bessa-Luís as Chaves da Cidade do Porto, pelo Presidente Rui Rio. (2004)
  • Prémio de Literatura do Festival Grinzane Cinema, Turim, Itália (2005)


Distinções:
Ordem de Santiago da Espada (1980)
Medalha de Honra da Cidade do Porto (1988)
Officier de l’Ordre des Arts et des Lettres, atribuído pelo Governo Francês (1989).

Honoris Causa:
Doutoramento Honoris Causa pela Universidade Lusíada, Porto (1999)
Doutoramento Honoris Causa pela Universidade do Porto (2005)
Doutoramento Honoris Causa pela Universidade Tor Vergata de Roma (2008)


A 18 de janeiro de 2015, eis um artigo sobre Agustina no Observador  (Brasil), bem demonstrativo da projeção desta mulher e escritora em terras de Vera Cruz: 

Mostra com textos e fotografias aproxima Agustina Bessa-Luís do Brasil

undefined
Os painéis mostram fotos da escritora desde a infância até à idade adulta, e apresentam a sua biografia desde a chegada ao Porto para estudos em 1935, passando pelos primeiros lançamentos.
Agustina Bessa-Luís tem 92 anos
JOÃO RELVAS/LUSA
Para leres o artigo na íntegra, clica em  


Para saberes ainda muito mais e te deliciares com pormenores, características e gostos da autora, clica em http://revistaler.no.sapo.pt/pdfs/agustina.pdf



Bibliografia:

Sem comentários: